O que há por trás de um projeto de performance?

A palavra “performance” no contexto do marketing digital significa, em suma, escalar a visibilidade de marcas para impactar o público-alvo em prol de um objetivo. Seja para gerar mais leads, se relacionar ou gerar vendas.

Eu já começo este texto afirmando que performance não se resume apenas a apertar o botão “impulsionar” ou fazer campanhas em gerenciadores de anúncio. É, antes de tudo, entender a fundo a estratégia do negócio, o plano de marketing da empresa (se houver), o posicionamento, a jornada do consumidor, diagnosticar gargalos e traçar um planejamento que equilibre investimento, objetivo e métricas a serem alcançadas.

A relação cliente-agência

Quando o dono de uma empresa entra em contato comigo e diz “eu quero estar nas mídias sociais, no Google, Youtube”, ele está dizendo que deseja aumentar a sua visibilidade de marca para gerar mais vendas a curto e médio prazo. Entretanto, ele precisa estar em todos esses canais? Tem investimento para estar em todos de forma ativa? Como ele deve estar presente?

O meu papel ao assumir qualquer projeto é compreender as necessidades e condições do negócio, os potenciais públicos no meio digital, qual a função de cada canal on-line e offline na jornada do consumidor, para depois montar uma estratégia que gere resultados com base na realidade do negócio, traçando ações e campanhas de um modo mais certeiro e coerente.

A performance na prática

A área de performance não é restrita apenas aos anúncios patrocinados. Campanhas de e-mail marketing, de SMS, criação de landing pages, manutenção de copys e criativos, análise de concorrentes e mercado são essenciais para alcançar os objetivos. Cada projeto é analisado de forma única, personalizada e estratégica. Não existe receita de bolo, mas sim um estudo profundo dos dados gerados, da marca, do público e da concorrência. Fatores esses que norteiam tudo o que vem depois.

De uma forma resumida, o que você deve olhar antes de iniciar um projeto de performance?

  • Objetivos do projeto;
  • Necessidades do negócio;
  • Diferenciais do negócio;
  • Público-alvo (personas);
  • Jornada do consumidor;
  • Concorrentes (diretos e indiretos);
  • Potencial de cada canal de comunicação;
  • Regiões interessantes para estar presente;
  • Investimentos disponibilizados;
  • Plano de marketing.

A partir do levantamento dessas informações, você tem condições de elaborar um projeto de performance pronto para alcançar os objetivos propostos. É importante salientar que esse modelo é apenas um norte, e poderá ter alterações de acordo com a realidade de cada negócio.

A performance na Lorean

Na Lorean existem cases de diferentes segmentos – gastronomia, tecnologia, educação e outros – em que a performance foi trabalhada nessa cronologia que descrevo: diagnóstico, planejamento, ação e resultados, sem qualquer “botão apertado” por conta da pressa de gerar vendas.

Um dos grandes cases da Lorean é a Todo InComm, uma empresa que opera soluções de cartões-presente para grandes varejistas brasileiros. Em 2020, com a chegada da pandemia, a Todo precisava aumentar de forma latente os seus leads – público totalmente B2B – a fim de dar um suporte maior ao comercial. Para tanto, foi estruturada uma estratégia de fundo de funil, ou seja, pessoas que estavam em busca de soluções de cartão-presente e afins e que precisavam compreender melhor esse “novo” canal de vendas para o varejo.

Com um público-alvo centralizado em Heads de Marketing, Gerentes Comerciais e CEOs de médios e grandes varejistas do Brasil, foram utilizados os canais Google Search, Google Display, Youtube e Linkedin, e com estratégia de venda direta, foram gerados mais de 120 leads.

Mas tudo passou pelo entendimento prévio do que precisava ser feito. O termo “norte” não apenas faz sentido, como é a cereja do bolo de todo o trabalho executado. Como profissional, sigo lutando para que a palavra “performance” não seja banalizada em nosso meio e se resuma apenas a apertar botões. O meu propósito é que todos entendam o quão importante é ter uma equipe com know-how por trás de um projeto, mapeando espaços, definindo ações e compondo o que é necessário para que os resultados sejam, de fato, promissores.

Se você quer saber mais sobre o case da Todo e outros cases da Lorean, fale comigo!

Pedro

Pedro

Sócio-diretor da Lorean, responsável pela área de negócios e performance da Lorean

CONTATO